#22: Outfit do dia e um passeio

Quando penso que não vou conseguir sobreviver o dia ou fazer as coisas que tenho para fazer, como por exemplo escrever este post, filmar o video de amanhã, edita-lo, mas antes disso dar comida ao menino, dar-lhe banho, por-lhe na caminha, limpar casa, enfim essas coisas… respiro fundo e digo: bora, concentra-te.

Este pensamento tenho eu tido todos os dias e que começou há extamente 2 anos, dois meses, 2 semanas, 2 dias, 10 horas e 6 minutos. Nao faço ideia dos segundos.

Este pensamento começou quando finalmente consegui que o Mikkel saísse.

Desde então que tem sido fase atrás de fase, tal como no parto. Houve a fase dos primeiros 8 dias com um recém nascido, das 8 semanas com um bebé, dos 8 meses com um bebé-toddler e vamos agora ver como corre aos 8 anos.

Foram difíceis os primeiros meses. Ui, nem eu sabia o que me esperava e muita mãezinha que está a ler isto deve estar a assentir com um “yep”. Uma coisa é certa. Gostava que alguém me tivesse contado o que me esperava. O bom e o mau.

No entanto, uma coisa que eu reparei no “isto de ser mãe” é que depois do gaiato ter saído que “desapareceu tudo”. Das mensagens de “então já veio?” aos telefonemas preocupados, resultou em grilos. E aconteceu o mesmo comigo. Eu simplesmente desapareci, que nem sei bem para onde fui.

E depois aos poucos vi-me a “aparecer”. Vi que era uma pessoa nova, que os meus gostos e as minhas prioridades tinham-se transformado. Não falo só do facto de ter de tomar conta de um bebezinho, mas sim o de sentir que no último grito que dei antes do Mikkel sair, foi o meu último como uma pessoa individual e o meu primeiro como mãe. Um ser novo. Que tinha nascido com a sua própria criança.

Desde então que junto com o Mikkel tenho “crescido”. Tenho aprendido todos os dias, ás vezes chorado, e outras vezes rido muito. Ai eu tenho rido tanto. E este dia foi um deles.

Desde que temos estado isolados que tenho ficado com o Mikkel em casa. Mesmo que as restrições aqui na Dinamarca sejam bem mais leves, especialmente em comparação com Portugal e Espanha, eu tenho evitado sair á rua – nunca com o Mikkel – exceto (eu sozinha) para comprar comida ou ir á farmácia.

No entanto, aqui a mãe ás vezes, cansa-se de cozinhar. Não há take aways onde estamos e a única comida feita pronta a comer é mesmo do Mcdonalds.

E lá fomos nós. Fomos dar uma voltinha de carro – aqui também não é proibido andar de carro e passear – ver camiões e tratores e depois aproveitámos, passámos pelo drive-in e viémos para casa. Um dia diferente dos outros.

E vocês como estão. Espero que bem!

Um beijo x

PS: achei engraçado fazer um post assim visto que a gente não vai a lado nenhum mas quando vai, ai mãe. É uma festa. #diascovides

#ooutfitdodia

Camisola: velha / Blusão: HM / Calças: Zara/ Ténis: Balenciaga

Leave a Reply