Corona Diaries: Dia 12

Parece mentira que há 12 dias viemos para a outra casa sem termos a mínima ideia do que se viria a passar. Há 12 dias que desfiz a mala e pus as minhas 3 t-shirts, os meus dois pares de jeans e 3 pares de sapatos dentro do guarda roupa. Felizmente que já tinha calças de fato-treino e sweaters aqui guardados porque basicamente têm sido nessas vestimentas que tenho passado os meus dias.

As saídas á rua são muito raras, mas ler as notícias a toda a hora e os suspiros como resposta são constantes. Isto de estar em isolamento tem que se lhe diga. Felizmente que não tenho me passado muito e não devoro bolos todos os dias a toda a hora como resposta face á porcaria do isolamento, mas também é porque não podemos sair á rua, o que tem ajudado na circunferência da barriga. No entanto, este passado fim de semana foi a festa autêntica.

Depois de ter passado UMA semana em modo cetológico, começando na sexta-feira e terminando no domingo á noite eu ingeri calorias que dava para um mês inteiro. Bebi ¾ l de uma garrafa de vinho branco Riesling (que vim a descobrir que não gosto muito e ainda tenho outra). Vim também a descobrir que uma garrafa de vinho não tem um litro, mas sim 75cl. E disse depois de 2 copos ao marido enquanto me fartava de rir do filme Taxi5 que aquela garrafa era mais pequena pois não tinha um litro. O marido disse que todas as garrafas tinham 75cl. Eu pousei o copo, e engoli mais dez gomas e disse que sa f%&¤ e abri o pacote de m&m’s.

Foi a desgraça total, isto porque beber “sozinha” em casa num sábado á noite, quase uma garrafa inteira parece ser meio caminho andado para alcoolismo, mas para mim fez bem. Depois de ter sido mãe, as saídas á noite são completamente inexistentes, e quando saio arrependo-me de imediato. Assim que às vezes tenho destas sessões aos sábados. A minha grande sorte é que não tenho ressaca nenhuma no dia a seguir e posso acordar às 7 da matina sem dores de cabeça e estou preparadíssima para enfrentar o dia com o meu rebento.

Sabem qual o segredo? Não misturem álcool. De forma nenhuma. Eu pensava que me tinha tornado invencível, porque bebia 2 ou 3 copos de vinho e sentia-me super bem no dia a seguir, até eu ter bebido numa festa um gin, depois dois copos de vinho ao jantar e depois um baileys com o café. No dia a seguir parecia que tinha sido varrida por um comboio. Fica a dica meus amigos, bebam moderadamente (não conduzam claro) e não misturem.  

Não sei se foi da sessão louca de sábado, mas o meu corpo não reagiu bem. Não tinha ressaca, mas ao longo do dia entre espirros e dores no nariz, fui devagarinho me enfiando debaixo do cobertor e lá fiquei. Fugi um bocadinho do papel de mãe e fui-me escapando para o quarto entre espirros e palavrões enrolando e enfiando um pedaço de papel higiénico no nariz. Não sei a correlação com uma ressaca, mas que o corpo não gostou do que fiz, não gostou.

Segunda feira acordei, e continuava, não com a constipação, mas com dores nas pernas e na derriére. Eu a querer trabalhar, escrever no blog ou costurar e o corpo que não quer colaborar. Outro dia passado de costas para baixo na cama e a ler mais noticias. Já não basta isto de estarmos fechados em casa agora também não posso ser produtiva? Assim, que estou a lutar contra as enfermidades que por aqui passam e vou lutando to “keep sane” até que este lockdown amenize. E vocês como está a correr a coisa? Estão a sobreviver mentalmente?

Leave a Reply

%d bloggers like this: