Dicas de casa: 10 quartos de crianca aconchegadores

Há um je ne sais quoi no interior design tipicamente Escandinavo. Desde que houve o boom no mundo digital influenciando os demais, este estilo tem vindo a invadir espaços pelo mundo inteiro. No entanto, o design Escandinavo vai muito além do tão falado hygge das redes sociais. Com raízes vincadas em artesanato de alta qualidade, design minimal e um propósito primariamente funcional, o design Escandinavo tem o poder de nos fazer sentir serenos e complacentes.

Surgindo transversalmente ao estilo moderno Bauhaus, designers da metade do século passado como Arne Jacobsen, Børge Mogesen ou o Hans Wegner vieram-se a tornar ícones mundiais e a serem uma constante no mundo luxuoso dos móveis e objetos decorativos.

O design Dinamarquês tem as suas características baseadas no minimalismo funcional, com uma atenção particular ás necessidades do usuário e nos materiais utilizados. Os designers daquela época – década de 50-60 – desenhavam e construíam mobília a pensar nas pessoas e nas suas próprias experiências.

Os dias de inverno nos países nórdicos são curtos, cinzentos e frios. A maior tendência é ficarmos por casa, daí o design dos nossos interiores ter uma grande importância nos nossos dia-a-dias. A nossa atencão foca-se muito no layout da nossa casa e no conteúdo que lá colocamos. Mobília, candeeiros ou objetos que väo enchendo as nossas casas väo ganhando um lugar especial no nosso coracao.

Hoje em dia, os distintos candeeiros de Poul Henningsen, as cadeiras de madeira intemporais de Hans Wegner e até as pecas de metal de Georg Jensen enchem as casas de connoisseurs, criando assim um espaço interessante, cheio de história e alegria.

A alegria e a apreciação por objetos icónicos destes designers mundialmente reconhecidos não só fica pela sala ou pela cozinha, esta alegria flutua até aos quartos das crianças. Estes passados anos, o minimalismo e paredes despidas eram uma constante nas casas dos dinamarqueses. No entanto, cores quentes e alegres têm vindo a inundar as suas casas. E eu meus caros amigos, estou a ser imensamente influenciada.

Muito em breve, a remodelação do nosso apartamento – que vai acabar por ser um duplex – vai-se tornar uma realidade e eu tenho andado de olhos em bico no Instagram. Tenho encontrado igers com casas lindíssimas e com os quartos das crianças saídos de contos de fadas. Também eu quero criar um ambiente acolhedor e divertido para o M.

Há dois anos atrás não me imaginava a pintar as paredes de outras cores que não fossem brancas, cinzas ou cinzentas. Mobília de tons brancos devagarinho transicionam para as cores quentes da madeira natural e as janelas vazias e minimais vestem-se com cortinas de uma pallete interessante e divertida.

Durante esta minha pesquisa tropecei em fotos no Instagram de casas com o hygge a berrar pelos quatro cantos. Estas meninas vivem em espaços inspiradores com quartos incríveis e eu queria muito partilhar estes tesouros convosco. Quem sabe, também não se inspiram?

Poderäo gramar isto:

AYCASA Crates at ByFlou // Animal furniture at EO // Honey mustard Sengehimmel at Sovedyret // Sebra Birch Tree Baby/Junior Bed at Sovedyret // Honey Mustard Toy Basket at Liewood // Flag by Sebra at Rum21 // Sebra Kitchen at Kidly // Sheep Swing by Bloomingville at Elverbørn // Round Chair by Bloomingville at Kids-World // Bloomingville Bear Basket with lid at Pixizoo // Miffy Collection by Kids of Scandinavia at Jollyroom


There is a je ne sais quoi about Scandinavian interior design. Since taking the world by storm, this style has positively invaded people’s living spaces around the world.

However, Scandinavian design goes beyond the hygge movement. With deep roots on quality craftmanship, minimal lines and functional purposes, nordic design has the power to make you feel at peace and “warm” inside.

Emerging alongside Bauhaus the modernist school in Europe and America, mid-century designers like Arne Jacobsen, Børge Mogensen and Hans Wegner came to be interior design icons in today’s society.

Danish design is characterized by its functional minimalism and simplicity, with a particular attention to the user and made-to-last materials. Designers from that era were designing furniture and household items thinking about people and their own personal experience in their own homes.

The days in the Nordic winter are heavily dark and gloomy and turning our attention into the objects in our home like furniture, lighting and pynt (decorations) is one way of getting through it.

Nowadays, objects like lamps from Poul Henningsen,wooden chairs by Hans Wegner and Georg Jensen iconic home items fill connoisseurs homes, bringing them joy and daily appreciation for beautiful design.

The joy and appreciation doesn’t end in the living room, it flows into children’s bedrooms. These past years, minimalism and bare walls have been a constant in Danish homes, however warm colors and exciting textures have been introduced and I have been my friend, heavily influenced.

Soon, the refurbishing of our apartment – soon to be duplex – will become a reality and so I have been eyes deep in Instagram getting inspired by moms who have brought coziness to their little ones bedrooms.

Two years ago I couldn’t imagine myself painting a wall in any colors other than white, light or dark grey, but now I want to paint a whole colorful mural. White plain furniture is slowly transitioning into warm nature wood and empty windows are being dressed in colorful and exciting curtains.

During my research, I stumbled upon these Instagramers who made their little ones bedrooms something out of a dream and I would love to share them with you. It might inspire you as well. 🙂



Leave a Reply