Ama-te a ti própria primeiro

Last year, during the summer holidays in Spain, I thought it was time for new bathing suit shopping when at Primark I found this (similar) one size smaller swimsuit.

I put it on and 5 months later, after giving birth to a watermelon, I was feeling superb in my new body. Even though it looked very different from before. My stomach is lower and when I eat, everything lies now a lot lower making my belly look more extruded.

My boobs are double the size – started weaning this week so I’m looking forward for them to start looking “normal” – and shopping for bras is a total joke, so I still keep wearing those from breastfeeding.

This year I am a bit more conscious about I look, but at the same time I’m not. I shared this photo today and my caption was all about how I feel a lot sexier that before even though I have some extra kilos, cellulite and stomach.

How breastfeeding, something that nearly repulsed me before, was something that I came to do naturally. In public, while people ate, in benches, in airplanes. If someone looked weird at me, I just smiled back.

I wonder if something happens to your brain after birth. Does something in my brain makes me completely forget the status quo of how a body “now” should look like?

I’ve done keto, I’ve binged, I’ve eaten kilos of candy, I’ve gone vegetarian. I’ve trained sporadically – expecting to get a Anita Herbert body from night to day – Maybe breastfeeding has something to do with it but in 19 months I could only stay away from bad carbs for two months.

The remaining time, I’ve been craving carbs like crazy. Hopefully weaning off breastfeeding will make me want to go keto again and maybe shed those last kilo fats I need to before my holidays with my “sis” and her hulk (not hunk as he is like a brother to me 😀 ) of a husband in Ibiza. The 6th of October. Ah! I need a miracle!

These past 30 minutes whilst I’ve been writing or trying to write, my husband asked me the following:

“Will you eat flødekartofler (cream potatoes) for my ham? “Do you want is? (icecream)” or “I could eat a softis” (typical danish icecream).

and then he gave me the most sugary lemonade you could think of so I could finish it.

And “Do you want anything from Brugsen? it’s Saturday.” (in Denmark they have something called lørdagslik – which is when you can eat a bowl of candy without any remorse.)

My brain thought: “Say no, say no”, my mouth said: ” bring me some sower candy s’il vous plaît.”

I know what you’re thinking. How on earth will I ever get my body back? But do you know what? I don’t want to. I love how I look right now. I accept that I will never have a body like Chiara’s or that I will look any younger.

If I ever come around and finally use my Fair Fitness membership well good, if I stop eating carbs for dinner, amazing. If not, I’m not gonna cry over it. I have many other things to accomplish! Among them is being a kick-a** mom and achieving my professional goals. Period.

I love my body just the way it is and I think you should too. Let’s not forget that candy and croissants just fuels us to withstand our toddler’s tantrums. 😀

Update: Husband came back from Brugsen and brought wafers for his icecream and meringes for his dessert. (hahahah)



O ano passado durante as férias de verão em Espanha, pensei para os meus botões que era tempo de comprar um fato de banho. Encontrei um tipo este na Primark mas era um tamanho abaixo. Era tão giro que não quis saber se era um 34. E que talvez, mais provavelmente não me iria servir.

Experimentei-o em casa – senti-o assim um pouco apertado lá nas partes baixas e subia-me quase até ao pescoco. No entanto lá fui eu toda contente para a piscina, volta e meia a tirar o fato de banho lá do meio.

Eu estava confiante, feliz com o corpo que tinha, mesmo só 5 meses depois de ter dado á luz uma melancia, eu sentia-me bem. Eu tinha a perfeita noção de que o meu estômago estava mais baixo e de cada vez que comia, as coisas ficam mais baixas mostrando assim um pouco de mais barriga. Mas prontos é o que temos.

O meu peito está o dobro do tamanho – parei de amamentar esta semana, podem ler neste post e brevemente dou-vos o update – e estou muito desejosa de ver as minhas meninas voltarem ao lugar. Comprar soutiens, isto na Oysho foi uma anedota. Eu queria comprar um soutien assim mais normal pois os meus (de maternidade) já estavam assim um pouco gastos coitados. Mas prontos, escusado será dizer que a minha visita foi um tanto irritante. A Oysho pelos vistos faz soutiens para mulheres com mamas bi- polares.

Este ano senti-me assim um pouco mais consciente do meu corpo, assim que meti-me com a dieta ketogénica que até funcionou e fui correr parecia uma maluca. Talvez tivesse a ver com o facto de ir sair á noite e precisasse de me sentir nos trinques. Senti-me tão bem nessa primeira noite que inventei um outfit novo e tudo. Nem vos sei dizer bem em que prostituta saída de um filme me fui eu inspirar. Mas tinha desculpa, o colete tava apertado. Essas fotos dessa noite obviamente que vão permanecer no meu telemóvel. (LOL)

Mas como vos disse, este ano sinto-me bem mais consciente do corpo de mãe. E em como tudo mudou tanto a nível fisiológico como psicológico. Eu partilhei esta foto hoje com uma caption a defender o corpo pós maternidade e a amamentação pública.

Como é que a amamentação, algo que me fazia imensa confusão antes, depois tornou-se em algo completamente natural? Eu era uma sem vergonha em público, enquanto as pessoas comiam, em bancos no parque, em aviões. Se alguém olhasse para mim torto, eu sorria de volta.

Gostava de saber se algo muda no teu cérebro depois de te tornares mãe. Será que o cerebro despreza ou faz-se despercebido em seguir a norma status quo de como o “corpo” de agora devia parecer?

No entanto, eu tenho o tentado contrariar. Isto é uma luta com o sacana. Eu fiz a tal dieta keto, eu nadei em kilos de gomas, virei vegetariana. Treinei assim cada lua azul – a pensar que de um dia para o outro virava a Carolina Patrocínio – Talvez a amamentação abre-nos o apetite para devorar todos os hidratos que vemos á frente.

Hei-de vos dar o update de se o amamentar tem ou não a ver com as minhas fomes de gomas. Fiquem atentas.

O problema disto tudo é que a altura para me pôr despida (se tiver bom tempo, espero que não 😀 ) está a se aproximar. Estou a rezar para que a paragem no dar o peito tire-me a vontade de comer metade da loja de doces e me faça voltar ao meu amigo keto.

É que eu preciso de estar minimamente decente para ir de férias com a minha bestie e o Hulk do marido dela – parecem saídos de uma capa de revista aqueles, raios parta. Preciso é de um milagre e daquelas máquinas dos anos 20 para me dar umas tareias na celulite. ;D

Nestes passados 30 minutos ao escrever este post ou tentar escrever que o M. vem-me dar uma chapada cada 15 segundos, o marido já perguntou o seguinte:

“Apetece-te comer as batatas com creme?” “Queres gelado?” “Eu comia um geladinho.”

Depois deu-me a limonada mais doce á face da terra que nem consegui acabar.

E o melhor do melhor. “Vou ao brugsen (o nosso supermercado aqui), é sábado, queres que te traga alguma coisa?”

Isto do ser sábado é porque na cultura dinamarquesa aos sábados come-se gomas num tijelão, sem remorsos. Nenhuns.

O meu cérebro reagiu da seguinte forma:

“Diz que não, ainda tens os outros de ontem” ao que a minha boca, traiçoeira, diz “Sim, obrigada, aquelas gomas que amargam se faz favor”. Idiota!

Eu sei exatamente o que estás a pensar, entao se fores a minha irmã, estás a dizer “então mas como é queres te por em forma?”. Olha por agora estou feliz como estou, sinto-me chekxy. Amanhã, sabe-se lá, caio da cama e vou a correr por ginásio. Se tal milagre acontecer, já sabem posto tudo no Insta 🙂

Eu gosto de mim como sou, e do meu corpo como está e tu devias também minha querida. Não nos esquecemos que as gomas e os pastéis de nata são meios de combustível para ultrapassarmos as birras dos pequenos com 5 estrelas no comportamento. Sem nos passarmos muito, quis eu dizer 😀

Olhem, se eu der a volta ao cérebro e vá dar uso á minha inscrição no ginásio, boa. Se parar de comer hidratos ao jantar, fantástico. Mas se não, também não vou chorar por isso.

Sei que nunca vou ter o corpo da Chiara nem vou parecer mais jovem. Eu quero é me concentrar em ser uma mãe exemplar e em atingir os meus objetivos profissinais. Ponto.

Actualizacão: O marido voltou do supercado com 4 pacotes de leite (okay?) , waffles para o gelado dele e suspiros. Sim suspiros senhores. Deus me ajude!

Leave a Reply