A hyggeligt home office /DIY

Do you have that “feel good” feeling when you arrive home? The house clean and with a nice scent from its recent cleaning? The decor is just on point exactly how you like it and everything is as it should be.

I have that OCD thing where things at home absolutely need to make sense. Period. Having a baby has changed the layout a bit, however I do try to integrate mommy life aka baby things into my home.

Talking about cosy. You probably know about the “hygge” trend that has been around for quite a while now and it kicks a lot around Christmas time. It’s all about hygge moments, hygge places, hygge, hygge, hygge.

Do you even know what I am talking about? Hygge, a word original from Norway (koselig in norwegian) and Denmark and pronounced as “Hugge” (with an emphasis on the H and you whistle the U) has been changing how we see our existence and our interaction with the world.

Hygge is not a thing. It’s not throw pillows, it’s not a lit candle ginger scented. It’s not hot chocolate by a fire place. Not directly at least.

The first time I heard it or started noticing that people in Denmark use it quite a lot was back in fashion school. My Norwegian colleague, now a good friend, C. said it all the time. She is quite a joyful person and I always remember her anytime I hear the word or when it’s Christmas. She is that cheerful.

She said “hvor hyggelig” for a lot of things and from that habit I tried to understand what it actually meant. I asked, my then boyfriend, at home and he just said “cosy”. He still mumbles today about why is “hygge” such an interesting thing and why did people took it as a trend.

If you are a person with taste you like danish things. The culture, too.

To be honest, I think that the survey “the happiest people on earth are from Denmark” had something to do with it. It triggers people into finding out why, why are they so happy? How can that be if Denmark is one of the countries with the highest taxes? If the weather is mostly grey and gloomy? How can people be happy without the sight of sun for many many days?

It’s simple. However I am not going to get into it as much as I might be wrong. But if I am going to speculate, I think that it has something to do with how the country is lead. Denmark has one of the best health care and welfare in the world.

I am a mom of an eight month old baby and I’m on “barsel” aka maternity leave for a year. Yes, a whole year. The luxury of being able to stay home with my baby and watch his milestones closely makes me a very happy and fulfilled person.

There are different “definitions” and interpretations for hygge. I read in this blog that hygge is and I quote “when you are aware of the moment”. And I think this “definition” is spot on.

For me it’s simple things like sitting every morning with my son and feed him his morning grød while I try to have my coffee. It’s a really simple moment but it is a moment that I will remember and cherish forever. It’s a hyggestund*.

Being a foreigner/immigrant – in Sweden and Denmark-  made me live things more intensely. I appreciate beyond words every friend that I’m lucky to make and have. I enjoy my son. I enjoy when I see my friends and family in Portugal. I enjoy every moment with my husband’s family.

Hygge has become a daily part of my days. Being Portuguese, original from Algarve, where the sun shines more than 200 days a year you must imagine how hard it may be on me. There are days here short as 7 hours where the sun rises at 9:30 am and sets at 4:30 pm. The sun can sometimes hide himself for days.

So the Danes (and not only) a long time ago adopted some habits to be able to deal with that. The winters were long, hard and dark (still are, but we have Netflix and white wine now), electricity hadn’t been invented, many candles were lit and illuminating homes in Scandinavia.

I try to cozy up things around the house. I might be trying to be minimal but it’s nice to look at art, at plants, at beautiful (but practical) things. In one of my videos I made a huge makeover on my office at home. I work as a graphic designer from home and having an inspiring place to work is everything. The days will become dark and boring so it will be nice to look at my desk now.

How about you, did you know about hygge already? Do you also love cozying up your home like I do? Write down below your opinion, I’d love to know about it!

Sentes aquele “calorzinho bom” quando chegas a casa? A casa cheira a limpa por o teres feito recentemente. A decoração perfeita, exatamente como gostas e queres?

Eu pessoalmente sofro de OCD no que toca em como a casa está. A casa tem de estar limpa e as coisas distribuídas de forma a fazerem sentido. Depois de ter tido um bebé, o layout da casa mudou assim um bocadinho. Os brinquedos vieram substituir as prateleiras de livros da Kinfolk e jarras de vidro. Ainda tento integrar a vida de mãe no que toca a decoração. Todo o conjunto tem de parecer “aconchegante” e confortante.

Por falar em aconchegante, vocês já ouviram falar do termo “hygge”. Parece que o mundo de repente todo quer sentir o hygge. E intensifica especialmente no inverno e durante a época natalícia. É tudo no hygge.

Sabes sequer daquilo que estou a falar?

A palavra “hygge” sendo oriunda da Noruega – hoje sendo pronunciada “koselig” lá – é uma palavra dinamarquesa podendo ser definida como “momentos aconchegantes e memoráveis”.

A pronunciação de Hygge é “hugge” (acentuando-se o H e assobiando o U) tem vindo a mudar a nossa existência e como interagimos uns com os outros e com o mundo. Não é uma coisa, não é algo que se possa tocar ou que se possa comprar. Não são almofadas, não são velas com cheiro a baunilha ou um chocolate quente em frente é lareira num dia frio. Não diretamente.

A primeira vez que ouvi a expressão foi numa amiga norueguesa da escola de moda na altura. Ela usava “hyggelig” para quase tudo. Ela é uma pessoa bastante afável e simpática e sempre que oiço hyggelig lembro-me sempre dela, especialmente no natal.

Depois de ter aprendido esta palavra, comecei a notar bastante como os dinamarqueses a usam bastante. Perguntei lá em casa o que significava (isto há já 10 anos atrás) ao meu na altura namorado (hoje maridão) ao que me respondeu “aconchegante” e hoje em dia diz-me que não percebe bem porque virou moda.

Pois aí está, ele por ser dinamarquês e hygge ser algo completamente natural para ele desde que ele se lembra não percebe como nós estrangeiros damos tanta importância á coisa.

Nós demos e damos importância á coisa talvez porque fomos influenciados inconsciente depois de as notícias e lermos artigos onde as estatísticas mostram a Dinamarca como o país onde as pessoas são mais felizes.

Acho que isso chamou a atenção das pessoas. Porquê é que eles são tao felizes? Como é que isso pode ser? A Dinamarca ser um dos países com os impostos mais altos do mundo. Se o tempo é maioritariamente cinzento, nublado sem um olá do sol durante imensos dias? Como é que pode ser?

É simples. Aliás, não querendo especular assim muito, mas baseando-me em fatos a Dinamarca é um país que te faz feliz. Que te tira o peso dos ombros. Que te ajuda quando mais necessitas. O país tem um dos melhores sistemas de saúde e de segurança social do mundo.

Eu sou mãe de um menino de 8 meses e encontro-me neste momento de licença de maternidade do meu trabalho. A luxuria de poder ficar em casa com o meu menino e vê-lo crescer e atingir as metas dele diariamente é algo que me preenche bastante e deixa-me bastante feliz.

Existem definições e interpretações de hygge. Eu li num blog, hoje mesmo até, onde dizia que a expressão é quando tens a noção do momento e o quanto estás a adorar vivê-lo. É a interpretação mais correta que li até hoje.

Para mim, o fato de ser estrangeira e imigrante – Suécia e Dinamarca – faz-me viver as coisas todas mais intensamente. Eu aprecio tudo de uma forma mais especial. Dos amigos que consegui fazer aqui. O meu lindo filho. A minha família e amigos de Portugal, o meu marido e a família dele aqui na Dinamarca.

O hygge tem feito mais sentido com o passar dos anos. Sendo portuguesa, nascida e criada no Algarve, onde o sol brilha e nos saúda 200 dias ao ano deves imaginar como é para mim aqui morar. Há dias aqui onde o sol nasce ás 09:30 e se poe ás 16:30. O sol ás vezes desaparece dias a fio.

Os danes (os escandinavos, para dizer melhor) há muitos anos atrás adotaram costumes para poder lidar com isso. Os invernos eram longos, frios e escuros (ainda são, mas agora temos netflix e vinho branco) e a eletricidade não existia, muitas velas foram acendidas e iluminaram casas por toda a Escandinávia. Com isso as famílias reuniam-se á volta do fogo e contavam histórias de outros tempos, aconchegados com pelos quentes.

Se perguntares a um dinamarquês o significado de hygge ele vai-te contar de como hygge não tem significado, que é algo que tu sentes durante um jantar com os teus amigos, um café sozinho junto á janela e ver os carros passar, é amamentares o teu bebe e vê-lo adormecer nos teus braços. Isso é hygge.

Eu tento tornar o espaço aqui por casa mais aconchegante. Eu estou a tentar poupar nos meus pertences, mas isso não significa que tenho de olhar para paredes vazias e uma secretaria sem graça. Num dos meus vídeos no meu canal tenho um onde fiz uma mini make-over no escritório aqui de casa.

Por trabalhar como designer gráfica (ás vezes designer de interiores) e como blogueira de casa, ter um espaço criativo e que me inspire é muito importante para mim. Os dias vão se tornar escuros em breve e vou precisar de coisas bonitas para olhar e um sítio aconchegante para trabalhar.

E tu? Já conhecias este termo? Também gostas de decorar a tua casa de forma a ser mais convidativa e aconchegante? Escreve-me em baixo e conta-me o que fazes para tornar os teus dias ou as tuas noites mais memoráveis.

Leave a Reply

%d bloggers like this: